Empreendedorismo Social: 5 exemplos inspiradores

Empreendedores sociais de inovação social e de transformação em vários campos, incluindo educação, saúde, ambiente e desenvolvimento empresarial. Eles buscam reduzir a pobreza metas com zelo empreendedor, métodos de negócios e a coragem para inovar e superar as práticas tradicionais. A empreendedora social, semelhante a um negócio empreendedor, constrói uma forte e sustentável das organizações, que são definidos como não-para-os lucros ou as empresas.

A empreendedora social é um líder visionário ou pragmática que:

alcança grande escala, sistêmica e sustentável mudança social por meio de uma nova invenção, uma abordagem diferente, uma aplicação mais rigorosa das tecnologias já conhecidas ou novas estratégias, ou uma combinação destes.
Concentra-se em primeiro lugar e acima de tudo sobre o social e/ou ecológica criação de valor e tenta otimizar a criação de valor financeiro.
Inova ao encontrar um novo produto, um novo serviço, ou uma nova abordagem para um problema social.
Adapta-se continuamente refina e abordagem em resposta ao feedback.
Combina as características representadas por Richard Branson e Madre Teresa.
A Schwab Foundation emprega os critérios a seguir quando se olha para os principais empreendedores sociais: Inovação, sustentabilidade, alcance e impacto social.

O que o empreendedorismo social compartilha em comum:

Uma inabalável crença na capacidade inata de todas as pessoas que contribuem significativamente para o desenvolvimento econômico e social
A paixão pela condução para fazer com que isso aconteça.

UM prático, mas posicionamento inovador para um problema social, muitas vezes usando princípios de mercado e as forças, juntamente com obstinada determinação, que lhes permite romper com as restrições impostas pela ideologia ou domínio da disciplina e empurra-los para assumir riscos que os outros não me atreveria.

A zelo para medir e acompanhar o seu impacto. Os empresários têm padrões elevados, especialmente em relação aos seus próprios esforços da organização e em resposta às comunidades com que eles realizam. Os dados, tanto em termos quantitativos e qualitativos, são suas principais ferramentas, orientando feedback contínuo e melhoria.

Uma saudável impaciência. Empreendedores sociais não pode sentar-se para trás e esperar a mudança para acontecer – eles são a mudança drivers.

O que é Empreendedorismo Social?

O empreendedorismo Social é a aplicação prática, abordagens inovadoras e sustentáveis que beneficiam a sociedade em geral, com ênfase para aqueles que são marginalizados e pobres.

Um termo que capta uma abordagem única para os problemas económicos e sociais, uma abordagem que os cortes em todos os setores e disciplinas baseadas em determinados valores e processos que são comuns a cada uma empreendedora social, independentemente de sua área de foco tem sido educação, saúde, reforma da segurança social, os direitos humanos, os direitos dos trabalhadores, o ambiente, o desenvolvimento económico, a agricultura, etc., ou se as organizações que são sem fins lucrativos ou entidades com fins lucrativos.
É esta a abordagem que define a empreendedora social para além do resto da multidão de pessoas bem-intencionadas e organizações que dedicam suas vidas à melhoria social.

Sobre os modelos organizacionais

Aproveitado sem fins lucrativos empreendimentos

o empresário define uma organização sem fins lucrativos para gerar a adoção de uma inovação que corrige uma falha no mercado ou governo. Ao fazê-lo, o empresário contrata uma seção transversal da sociedade, incluindo organizações do sector público e do sector privado, para impulsionar a inovação através de um efeito multiplicador. Aproveitado sem fins lucrativos empreendimentos dependem de fora continuamente financiamento filantrópico, mas seu longo prazo a sustentabilidade é muitas vezes maior que os parceiros têm um interesse na continuação do empreendimento.

Híbrido sem fins lucrativos 

o empresário define uma organização sem fins lucrativos, mas o modelo inclui um certo grau de recuperação de custos através da venda de mercadorias e serviços para uma seção transversal de instituições, públicas e privadas, bem como para a população-alvo os grupos. Muitas vezes, o empresário define a várias entidades jurídicas para acomodar a obtenção de um rendimento e gastos da caridade, uma ótima estrutura. Para ser capaz de manter a actividades de transformação na sua totalidade e atender às necessidades dos clientes, que são muitas vezes pobres ou marginalizadas da sociedade, o empresário deve mobilizar outras fontes de financiamento do sector público e/ou filantrópico. Esses fundos podem ser sob a forma de subsídios ou empréstimos, e mesmo quase-capital.

Voltar para Empreendedorismo

Reply

[nome]
[nome]
[email]
[email]
[submit]
[submit]
[submit]
[submit]
[formId]
[formId]
[return]
[return]
[formName]
[formName]