Coisas que você precisa saber sobre o trabalho remoto

Hoje, o trabalho remoto parece ser mais popular do que nunca. De acordo com uma pesquisa recente da Gallup, 43% dos americanos empregados trabalharam remotamente de alguma forma no último ano. Outros relatórios afirmam que, até 2020, 50% da força de trabalho americana estará trabalhando remotamente. Alguns porque querem, alguns porque precisam.

E isso faz sentido. Trabalhar remotamente, se bem feito, é uma situação vantajosa para todos os envolvidos. De acordo com o mesmo estudo, dada a escolha de um aumento de 10% ou a opção de trabalhar remotamente, 53% de todos os participantes optaram por trabalhar remotamente em vez de obter o aumento de 10%. Deixar de ir até o trabalho é, de longe, um dos maiores fatores de maior felicidade para aqueles que fizeram a mudança para o trabalho remoto. Mesmo se o seu trajeto para o trabalho não seja tão demorado, faz uma grande diferença.

Outros benefícios de trabalhar remotamente são um horário de trabalho mais flexível e, normalmente, um custo mais baixo para a empresa que o emprega (o empregador não precisa fornecer um espaço de trabalho e nem pagar pela eletricidade e internet deste espaço, por exemplo). Os pontos positivos são bastante claros para ambas as partes, pelo menos superficialmente.

Enquanto trabalhar remotamente é atraente para muitas pessoas, nem todos são bons nisso. Há pessoas que podem ficar, improdutivas e não realizar o trabalho da maneira que deveriam ou, até mesmo, queriam fazer. A vida remota nem sempre é fácil e é necessário aprender como atuar de forma correta.

Então, caso você estiver pensando em trabalhar remotamente ou ter um time remoto, aqui estão algumas coisas que você precisa saber.

O processo de contratação é mais rápido

Às vezes, o processo de contratação de uma empresa pode levar semanas e até meses. No entanto, se essas empresas mudassem para uma força de trabalho distribuída remotamente, elas poderiam corrigir esse problema. De acordo com o relatório State of Remote Work 2017, empresas com uma força de trabalho totalmente distribuída demoram 33% menos tempo para contratar novos funcionários.

Pequenas empresas contratam mais funcionários remotos

Nem sempre a escolha de grandes empresas para o trabalho remoto é a escola mais eficiente. Ainda de acordo com o relatório State of Remote Work 2017, as pequenas empresas têm duas vezes mais chances de contratar funcionários remotos em período integral.

Trabalhadores remotos têm problemas para se desligarem do trabalho

É muito importante para qualquer trabalhador, ao interromper o regime de trabalho, também deixar suas preocupações profissionais e se concentrarem em suas vidas pessoais. Infelizmente, para funcionários remotos, não é tão fácil assim. Quer estejam trabalhando em um café ou em um home office, o mesmo estudo descobriu que os trabalhadores remotos tem mais dificuldade para em redesenhar os limites entre o trabalho e a vida não-profissional.

Trabalhadores remotos são mais felizes

Só porque os funcionários remotos têm dificuldade para traçar a linha entre o trabalho e a vida pessoal, isso não significa que eles estejam infelizes. Na verdade, o mesmo estudo descobriu que os trabalhadores remotos têm níveis mais altos de comprometimento organizacional e satisfação no trabalho, resultando em um aumento geral no bem-estar relacionado ao trabalho.

Trabalhos remotos podem ser mais intensos

Quando você não está em um escritório, se comunicando pessoalmente com um chefe ou gerente, pode ser difícil para os outros entenderem sua carga de trabalho. No estudo, os pesquisadores descobriram que a intensificação do trabalho é maior para os trabalhadores remotos. 39% dos trabalhadores remotos disseram que muitas vezes trabalham horas extras para conseguirem realizar todas as tarefas diárias.

Uma força de trabalho distribuída pode construir relacionamentos mais fortes

Só porque os funcionários remotos não veem seus chefes ou colegas diariamente não significa que eles não acreditem que a criação de relacionamentos seja importante. Na verdade, ainda mais do que os funcionários regulares, os funcionários remotos se sentem valorizados e as pessoas no trabalho se preocupam com eles profissional e pessoalmente. Apesar do tempo adicional longe dos gerentes e colegas de trabalho, eles são os mais prováveis de todos os funcionários a concordar fortemente que alguém no trabalho se preocupa com eles como pessoa e incentiva seu desenvolvimento.

As faltas de trabalhadores remotos custam menos

Quando os trabalhadores ficam doentes ou precisam tirar um dia de folga do escritório, isso pode não apenas fazer com que um funcionário fique com tarefas acumuladas, mas também pode causar custos à empresa. As ausências de funcionários podem custar  a uma grande empresa cerca de 1 milhão de reais por ano. O trabalho remoto reduz o os custos as faltas em quase 60%.

Saiba quem você é

Embora alguns possam dizer “trabalho remoto é o futuro”, esta não é uma verdade geral. Simplesmente não é algo que funcione para todos.

Por um lado, trabalhar remotamente pode ser bastante solitário. Há quem precise das conversas diárias e um sentimento tangível de pertencimento. Isso pode existir até certo ponto dentro de uma equipe remota, mas é inerentemente diferente. Por exemplo, seu bate-papo do Slack pode ajudar a substituir as conversas diárias no refeitório, mas não é o mesmo que sentar e compartilhar o almoço com seus colegas de trabalho.

Algumas pessoas, tendo a chance de trabalhar em casa, não realizariam nada porque são facilmente distraídas ou simplesmente precisam do cronograma fixo e da estrutura de uma vivência diária  no escritório.

Saber quem você é, comunicar-se regularmente com seus colegas de trabalho e ter uma estrutura dedicada para a comunicação entre os colegas de trabalho (com o uso de ferramentas como o Slack e o Trello) são as três principais maneiras de se tornar um trabalhador remoto bem-sucedido. Se você fizer essas coisas direito, tudo o mais se seguirá.

Marketing digital aplicado ao setor automotivo

Você sabia que conseguimos aplicar marketing digital em qualquer setor?

Sim é possível e vamos apresentar um exemplo focado no mercado automotivo.

Por definição o marketing digital difere do marketing tradicional, pois envolve canais online e análise de resultados em tempo real. Basicamente o marketing digital serve para aumentar vendas e fortalecer a marca.

Com isso, iremos apresentar um case de combinação de estratégias de inbound e outbound marketing.

O case fornece informações do setor automotivo vendendo cursos de capacitação focado em Design de produto.

Após mapear o persona e saber exatamente onde ele está, inicia-se o processo de captação de leads utilizando as redes sociais através de estratégias de outbound marketing.

Contudo para atração de um lead extremamente qualificado é importante oferecer conteúdo de alto valor. Não obstante, é criado um blog post enviando tráfego diretamente para essa página convidando o lead para a landingpage onde acontece o início do relacionamento através de um webinar que irá acontecer ao vivo, e em poucos dias ofertando outro conteúdo que auxiliará o lead a resolver o seu principal problema.

Após a captura do email é iniciado o primeiro contato através de uma sequência de emails definidos por um autoresponder. O email marketing consegue estabelecer uma comunicação entre a empresa e o público.

Oferecendo conteúdo exclusivo é possível fazer com que o prospect seja ativado descendo funil abaixo. Esse funil representa a jornada da sua audiência desde o primeiro contato até a compra.

Pensando nisso a taxa de abertura de emails é uma métrica essencial para entender se os leads estão interagindo com o seu material. Por este motivo é utilizado muito técnicas de teste ab para saber qual o melhor título, conteúdo e link para seu email

Após estabelecer uma relação de confiança é enviado o link para lead solucionar o seu problema através do webinar. É interessante que o evento seja ao vivo para tirar algumas dúvidas e prender a atenção do prospect até o momento de venda.

Uma das coisas mais difíceis é exatamente esse ponto ‘prender atenção desse lead’, por isso o conteúdo deve ser memorável. Ao apresentar o conteúdo do webinar ocorre a sugestão sobre a venda do produto/serviço que estará disponível somente por determinado tempo. Essa técnica ativa um dos gatilhos mentais que é a escassez. Não obstante é necessário ressaltar todos os atributos do produto antes falar sobre o valor do investimento, pois assim realizamos a ancoragem de preço na cabeça do consumidor.

Uma boa taxa de conversão é 10% da audiência presente no webinar. Para os outros possíveis clientes que não efetuaram a compra é interessante fornecer mais conteúdo utilizando estratégia de inbound marketing convidando novamente para uma possível venda após um tempo. Talvez ele ainda não esteja preparado para adquirir ou o produto não seja adequado para ele naquele momento. É importante saber que você não conseguirá vender para todos.

Dentro desse fluxo conseguimos estabelecer uma comunicação com o potencial cliente, relacionamento para gerar confiança e por fim a venda que é o resultado de todo o trabalho. Dessa forma iniciamos um novo processo que é o sucesso cliente. Mas esse assunto veremos em uma próxima oportunidade.

Gostou das dicas? escreva sua opinião nos comentários e até a próxima!

Deivid Oliveira

Dá camaleão tresdê

07 dicas de empreendedorismo para seu negócio

07 dicas de empreendedorismo para seu negócio

Como anda sua empresa? Está pensando em empreender? Antes de começar qualquer negócio ou continuar, é preciso considerar várias coisas para se dar bem em qualquer ramo e atividade que deseja atuar.

O mercado está em constante mudança e nem sempre estamos em tempo de acompanhar todas elas. Como ser um bom empresário? O que meus clientes esperam de mim? Quais erros que não posso cometer? Veja agora 07 dicas de empreendedorismo para seu negócio e garanta que sua empresa esteja sempre em amplo crescimento e sucesso.

QUAL SEU PERFIL DE NEGÓCIO

Seu negócio precisa ter sua cara, seu perfil e esse perfil não é somente o tipo de negócio mas também qual a modalidade dele. Por exemplo, muitos empresários começam um negócio do zero, mas outros preferem ir pelo caminho das franquias, que é uma modalidade empresarial que você adquire o direito de uma marca de vender seus produtos e serviços, rateando os lucros.

Muita gente começa pelas franquias e pode ser essa a modalidade melhor pra você no momento, mas as vezes o sonho do negócio próprio é tão grande que é melhor correr o risco de começar algo e passar por todos processos que isso implica, e isso tem relação com a cor e a cara do logotipo, o site, os produtos e serviços administrados…decida seu perfil e toque o negócio que melhor combine com ele.

PARE DE IDEALIZAR O EMPREENDEDORISMO

A palavra Empreendedorismo virou moda e hoje os empresários não são mais empresários, viraram empreendedores. Sabemos que isso são palavras de efeito que de tempos em tempos ficam famosas, mas no fim das contas ser empresário é matar um leão por dia pra ter um negócio próprio de sucesso.

Pare então de ir pelas modas do momento e de ficar idealizando o que grandes palestrantes do mundo do empreendedorismo falam, pois muito do que é dito é mais fantasioso do que real. Foque em sua empresa, no que ela precisa e idealize sim o seu sonho e lute para ele se tornar realidade, é esse o ponto que você deve realmente pensar.

ESTEJA DISPOSTO A MUDAR DE ESTRATÉGIA

Quando você estiver tentando atingir um determinado objetivo e parece que nada funciona é hora de mudar de estratégia. Não desista do negócio e de todos os sonhos e projetos que idealizou, mas busque novas rotas dentro desse projeto por que quando os erros se repetem muitas vezes, é por que ou algo está muito errado ou algo já não serve mais…ou nunca serviu para sua empresa.

FAÇA PLANEJAMENTOS REGULARES

Um bom empreendedor nunca deixa de planejar, portanto planeje novas metas quando os objetivos propostos já tiverem sido atingidos. O planejamento é que direciona seu negócio e não deixa você perdido, principalmente quando as coisas não dão muito certo.

Não desista nunca da ideia inicial, mas sempre abra oportunidades de pensar diferente e de criar novas ideias dentro daquela. Sua empresa funciona no ritmo que você der, então mantenha ela em movimento e de modo que os resultados positivos nunca parem de aparecer.

DESAPEGUE DA CONCORRÊNCIA, MAS FIQUE DE OLHO

Desapegar da concorrência é não se deixar levar por ela, a ponto de tudo que ela fizer você tem que fazer também. Apesar do saudoso Chacrinha ter tido em relação a televisão que ´´nada se cria, tudo se copia“, isso não significa que suas ideias originais não devem sair do papel…elas tem que sair e você tocar seu negócio sem a intervenção dos seus concorrentes.

Mas ficar de olho no que eles estão fazendo é primordial, pois uma estratégia certa deles pode ser um bom negócio também pra você, mas o importante é que você inove essa ideia e traga mais valor para seu serviço ou produto. Copie se for necessário, mas deixe seu produto mais interessante.  

INVISTA EM COMUNICAÇÃO E TECNOLOGIA

Site, blog, redes sociais, smartphones, tablets, computadores…tudo isso tem a ver com o atual mundo tecnológico e hoje uma empresa que não está na internet é por que está morta.

Não deixe de atuar ativamente nas redes sociais; tenha um blog atualizado e com assuntos que seu público quer ler; tenha um site simples e bonito sobre sua empresa e permita que todos os dispositivos possíveis possam acessá-los. Quanto mais a tecnologia estiver alicerçada a seu negócio, mais clientes você irá atingir.

NÃO DEIXE OS FRACASSOS TE ABATEREM

A dica universal para qualquer negócio é: não desanime no meio da pressão! Momentos de crise no negócio irão vir e terá vezes que parece que você irá desistir, o importante é que todas as vezes que vier esse sentimento, o sonho e o plano que desenhou seja maior. Acredite no seu sonho e no seu negócio! É isso que vai te levar ao sucesso certo!

FBV CURSOS E SEU NEGÓCIO

Além de acreditar no seu negócio, é importante que você esteja altamente qualificado para ele. Na FBV Cursos, você possui vários cursos para tocar bem sua empresa e até como começa-la. É o curso de Como Iniciar seu próprio negócio, além de Empreendedorismo e Gestão de Pessoas, que irá garantir a vitória da sua empresa diante da concorrência.

Acesse agora a FBV Cursos e faça cursos gratuitos com certificado que irão fazer sua empresa decolar!

Sua Ideia De Negócio É Boa? A Resposta Definitiva!

É difícil uma vez que converso com um aspirante a empreendedor sem que ele não me faça uma pergunta do tipo:

  • Você acha que montar tal negócio é uma boa ideia?

E se eu lhe mostrasse algo que seja capaz de responder OBJETIVAMENTE se a sua ideia de negócio pode realmente ser uma oportunidade… Você estaria interessado?

Sim? Ótimo, Então Vamos Lá, Não Vai Doer Nada!

Por falar em doer, eu estou me recuperando de uma dor de garganta, e o médico me receitou um remédio que deveria me fazer ficar sonolento. Mas, não sei por que, estas coisas sempre têm efeito contrário comigo.

Da minha insônia às três da manhã nasce este post. :-]

Vamos combinar uma coisa? Se eu disser algo que você não gostou, colocamos a culpa no remédio, ok?! Brincadeira!… rs

Você vai descobrir aqui ↓↓↓

Descobrindo Se A Sua Ideia De Negócio É “Boa” Ou “Ruim”

Basicamente, para descobrir se uma determinada ideia de negócio é uma oportunidade de negócio para você precisamos nos aprofundar em três aspectos:

  1. As suas expectativas pessoais e financeiras com o negócio,
  2. O mercado para a sua proposta de valor (produtos e serviços) e
  3. Os números do negócio.

Primeiro, bom ou ruim é absolutamente relativo. Absolutamente relativo é ótimo!

O que é bom para uma pessoa pode ser razoável ou até ruim para outra. Por isso, antes de responder se a sua ideia de negócio é uma boa, é importante descobrir o que você quer com um negócio próprio.

Por exemplo, um empreendedor poderia querer gerar uma renda extra, já outro, poderia estar interessado em criar um negócio altamente lucrativo e com taxas de crescimentos acima da média.

Em outro caso o empreendedor poderia estar interessado em trabalhar junto com a família, objetivos totalmente diferentes.

Em segundo lugar, o mercado é quem vai validar se o negócio é bom mesmo. É nele que você descobre os ajustes que deve fazer nos produtos e serviços, quanto vai vender por mês e a que preço.

E, por último, o fator capaz de transformar a subjetividade do “bom ou ruim” em algo totalmente mensurável, por natureza até, os cálculos de viabilidade financeira.

LÁ VAI: SE VOCÊ QUISER DESCOBRIR SE SUA IDEIA DE NEGÓCIO É “BOA OU RUIM” VOCÊ OBRIGATORIAMENTE DEVE FAZER OS CÁLCULOS DE VIABILIDADE FINANCEIRA.

Espere Um Pouco…

Antes que você deixe esta página porque tem aversão ao termo “cálculos financeiros”, eu quero te dizer que existem maneiras de gerar estes cálculos automaticamente (no final eu te mostro) e que você não precisa saber fazê-los, aliás, ninguém normal faz estes cálculos sem ajuda.

Se você por acaso os faz, desculpe me, mas pra mim você é um anormal, quem sabe um superdotado.

Claro, estes cálculos financeiros são baseados nas suas previsões do mercado e para dizer se o resultado é “bom” ou não você utilizará seus parâmetros pessoais (seus objetivos pessoais com um negócio próprio).

Dito Isso, Veja Agora…

Os 4 Indicadores Financeiros E 1 Ferramenta Capazes De Decifrar O Enigma Da Boa Ideia

1 – A Lucratividade

Para entendermos o conceito de lucratividade primeiro é preciso saber o que é lucro. Basicamente, o lucro é o que sobra do faturamento depois de pagar as despesas do negócio.

LUCRO LÍQUIDO = RECEITAS – DESPESAS

Na verdade, o lucro tecnicamente falando, de acordo com a lei 6404/76, tem a fórmula bem grande e foge do nosso objetivo aqui, por isso, eu não vou entrar nos detalhes. Se você quiser saber mais, neste link tem a fórmula completa da DRE e ao final você verá o termo “resultado líquido”, que é o mesmo que “lucro líquido”

Mas eu já te adianto que você não precisa saber esta fórmula ENORME para avaliar financeiramente uma ideia de negócio.

Minha intenção aqui é te dar informações práticas e úteis para seu objetivo e não lhe sobrecarregar com informações que talvez você nunca use.

Entendido o lucro com as devidas ressalvas, a lucratividade de um negócio nada mais é do que seu lucro líquido dividido pelo faturamento com a venda de produtos e serviços.

Cada mercado tem suas taxas de lucratividade, mas em média, uma empresa deveria lucrar entre 10% e 15 %.

Veja a fórmula da lucratividade:

LUCRATIVIDADE = (LUCRO LÍQUIDO / RECEITA LÍQUIDA) X 100

Por exemplo: Se a previsão de lucro e de faturamento fossem respectivamente 10 mil e 50 mil por mês, a lucratividade seria 10 mil / 50 mil = 20%.

2 – Você Conhece O ROI?

Não Este Roy!

Estou me referindo ao ROI com “i”: do inglês “Return Over Investment” ou Retorno Sobre o Investimento, que também pode ser chamado de rentabilidade.

Iniciar um negócio próprio é um investimento assim como aplicar o dinheiro no banco ou comprar um imóvel.

No caso de um imóvel, por exemplo, a rentabilidade é o valor do aluguel que você recebe (menos impostos), dividido pelo valor do imóvel.

Em um negócio próprio, a rentabilidade é o rendimento do capital investido (o lucro líquido) dividido pelo total do investimento.

A Fórmula do Retorno Sobre O Investimento:

RENTABILIDADE = (LUCRO LÍQUIDO / INVESTIMENTO TOTAL) X 100

Por exemplo, você investe 100 mil para montar uma empresa e depois de tirar o seu pró-labore a empresa lucra 10 mil. Desta maneira, a rentabilidade do capital investido na empresa é 10 mil / 100 mil = 10%.

A rentabilidade é o que te faz abrir um negócio ao invés de investir no tesouro direto, por exemplo.

3 – Ponto De Equilíbrio

Este indicador é importante para você saber qual o mínimo que você precisa vender mensalmente para não ficar no vermelho. Esse é um número que todo empreendedor deveria ter em mente ao iniciar um negócio.

O ponto de equilíbrio pode ser calculado em número de unidades vendidas ou em reais. Em uma loja de roupas, por exemplo, o ponto de equilíbrio poderia ser vender R$ 20 mil ou 200 peças de roupas por mês.

Você pode ter, inclusive, uma estimativa diária de quanto precisa vender, o que aumenta o sentimento de segurança, já que você não precisa esperar o final do mês para saber se o negócio vai bem ou não.

Fórmula Do Ponto De Equilíbrio Em Reais:

PONTO DE EQUILÍBRIO = CUSTO FIXO / MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO PERCENTUAL

4 – Payback – Prazo De Retorno Do Investimento

Este nada mais é do que o tempo que o negócio consegue se pagar. Quanto mais rápido, melhor é o investimento. Bons projetos deveriam se pagar em até dois anos.

Eu tento manter o foco, mas está difícil, é oportuno, prometo! Acho que é efeito do antialérgico. :-]

Às vezes eu vejo ofertas de franquias onde o retorno do capital (payback) acontece em cinco anos e o contrato também termina em cinco anos. Ué… espere aí…

Durante cinco anos você faz retiradas mensais a título de pagamento do seu pró-labore, seu salário. Ao final deste período é quando você deveria recuperar o capital investido, seu retorno financeiro de verdade, e continuar com o negócio.

Mas nesta hora seu contrato com a franquia também termina e, se você quiser continuar com a marca, é preciso reinvestir para renovar o contrato.

Já que o único dinheiro que você retirou do negócio foi seu salário mensal para administrá-lo, então você não comprou uma franquia. Você arriscou seu dinheiro para comprar um emprego? :-/

Se é este o seu caso, verifique a COF e o contrato da franquia em questão para se certificar. E faça também os cálculos financeiros, normalmente, como se você estivesse montando um negócio independente.

Voltando Ao Payback…

Na prática, você pode descobrir o tempo de retorno do seu investimento apenas somando o lucro de cada mês (se a projeção estiver mostrando prejuízo, você deve abandonar a ideia, claro!) até atingir o valor investido no negócio.

Por exemplo, se o seu negócio lucra 5 mil reais ao mês e você investiu 40 mil, o payback seria de 8 meses. Somando os 5 mil de lucro a cada mês, em 8 meses você recuperaria o valor do investimento.

Essa é uma amostra de retorno financeiro de um negócio muito bom, quase utópico.

A Fórmula do Payback (caso você não queira fazer pela maneira acima):

PAYBACK = INVESTIMENTO TOTAL / LUCRO LÍQUIDO

Você pode me dizer: “Está bem, mas o negócio não tem lucro igualmente todos os meses. Em alguns meses ele vai lucrar 4, 5, 8 mil. Sempre haverá variações positivas e negativas”. Elementar, meu caro Watson.

É justamente por não haver esta linearidade que existe uma ferramenta chamada Fluxo de Caixa Descontado. Nele você analisa as previsões de entradas e saídas em um espaço de tempo, normalmente de 5 anos.

1 – A Ferramenta: O Fluxo De Caixa Descontado

Esta ferramenta registra as previsões de entradas e saídas no caixa da futura empresa, o lucro (ou prejuízo) e os investimentos ao longo de vários períodos.

Baseado nestes números é possível avaliar o valor da empresa hoje, caso ela existisse. Meio estranho, não é? Mas é isso mesmo!

Você faz as previsões de quanto a empresa venderia, dos impostos, custos, juros do capital investido, etc. e projeta isso ao longo de 5 anos, por exemplo. Através de fórmulas financeiras, você descobre quanto a empresa valeria hoje, se as previsões se concretizarem.

O fluxo de caixa descontado é muito útil para você saber se vale a pena investir o seu dinheiro no negócio ou mesmo pegar capital de terceiros (empréstimo, sócios, investidores).

NÃO É POSSÍVEL SE FALAR EM CAPTAR RECURSOS FINANCEIROS CONSCIENTEMENTE SEM SE TER UMA PROJEÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO DA IDEIA DE NEGÓCIO.

Você pode até tentar, mas certamente quem for lhe emprestar o dinheiro vai lhe requerer estas projeções, a não ser que você peça empréstimo ou faça uma sociedade com parentes e amigos, onde o risco pode ser maior, pois você poderá perder os amigos e a confiança da família.

Para os profissionais do financeiro, eu não vou entrar no VPLTIRTMA, EBITDA e Máxima Exposição do Caixa por dois motivos. Eu fugiria do escopo deste texto e o artigo ficaria muito extenso.  :-]

Tanto o fluxo de caixa descontado como vários outros indicadores de viabilidade de um negócio você encontra nas planilhas Seu Negócio Lucrativo. Elas também fazem parte do Kit Novo Negócio…

Aqui Você Vê Várias Outras Telas Do Nosso Simulador De Negócios, Confira.

Para Finalizar…

Recapitulando, nós vimos que para saber se uma ideia de negócio é oportuna para você, nós devemos analisar por três ângulos:

  1. As suas expectativas financeiras e pessoais com o negócio,
  2. O mercado para a sua proposta de valor (produtos e serviços) e
  3. Os números do negócio.

Embora embasado nos seus objetivos e no mercado, são estes últimos, os cálculos financeiros, que têm o poder de lhe dizer objetivamente se a sua ideia de negócio vale a pena.

POR MAIS QUE VOCÊ PERGUNTE A SEUS AMIGOS, PARENTES OU ESPECIALISTAS EM NEGÓCIOS, NENHUM DELES TÊM CONDIÇÕES DE LHE DAR UMA RESPOSTA OBJETIVA DO POTENCIAL DA SUA IDEIA DE NEGÓCIO. INFELIZMENTE, APENAS OS CÁLCULOS FINANCEIROS TÊM ESTE SUPERPODER.

Lembre-se: Mais importante do que convencer possíveis investidores, é  você se convencer de que o negócio é uma boa ideia.

Neste Momento Eu Sei Que Você Pode Estar Pensando:

“Como Eu Vou Fazer Estes Cálculos Financeiros?”

Realmente, você tem razão em pensar desta maneira. Seria quase impossível para alguém que não é um profissional da área fazer estes cálculos financeiros corretamente.

Cálculos Automáticos de Viabilidade!… Agora sim!

Acalme-se, pois pensando justamente nesta dificuldade de 99,9% das pessoas, disponibilizamos junto com o Guia Como Abrir Um Negócio as planilhas para você fazer estes cálculos financeiros automaticamente apenas preenchendo os números do negócio.

Você preenche os números e, ao final, vê o resultado da sua ideia de negócio. É muito prazeroso, como dar uma espiadinha no futuro da sua ideia de negócio.

Espero sinceramente que você tenha gostado do artigo. Deixe seu comentário abaixo, pois sua opinião é muito importante para que eu possa produzir o conteúdo que você deseja… Agora acho que o remédio está fazendo o efeito esperado… até nosso próximo artigo…

Um forte abraço!

O mercado de self storage e guarda móveis no Brasil

O mercado de self storage e guarda móveis no Brasil

Com os imóveis cada vez menores, as pessoas têm enfrentado um problema cada vez mais crescente: a falta de espaço para armazenar móveis, objetos e até documentos. Por causa disso, surgiu um novo mercado: o guarda móveis ou self storage, que são galpões, ou boxes, que podem ser alugados para armazenar suas coisas.

Os galpões variam no tamanho (1 m² a 100 m²) e podem ser alugados mensalmente. É comum que eles fiquem em lugares de fácil acesso. O termo “guarda móveis” não é o preferido entre os empresários do ramo, já que não transmite a ideia de proximidade do meio urbano.

Empresas e pessoas usam o self storage para diferentes fins: pessoas costumam guardar móveis durante uma reforma ou itens que não são usados com tanta frequência, como enfeites de Natal ou bicicletas. Já as empresas costumam guardar arquivos antigos ou estoque, por exemplo. As lojas online também têm recorrido bastante a esse serviço para armazenar todo o seu estoque, além de pequenas empresas, que geralmente não dispõe de um lugar adequado para guardar equipamentos eletrônicos, documentos e inventários.

A facilidade de alugar um galpão é um ponto bastante positivo. Não é preciso muita burocracia e com apenas alguns documentos pessoais e comprovante de residência você fecha o negócio. Você paga antecipadamente pelo serviço, cerca de R$ 90,00 o metro quadrado por mês. A altura do galpão é de 3 metros. O valor do metro quadrado diminui se você alugar uma área maior.

A empresa não tem acesso ao galpão que foi alugado e o cliente tem seu próprio cadeado. O cliente precisa informar apenas um valor médio de todos os objetos armazenados para que seja feita uma apólice de seguro.

Não é muito complicado ter esse tipo de negócio. Você precisa investir em monitoramento, segurança e poucos funcionários, tanto para atendimento ao cliente quanto para a manutenção do lugar. Isso não quer dizer que o investimento não seja alto, já que o custo imobiliário exige capital para abertura e manutenção do negócio. A parte mais difícil é encontrar bons galpões dentro das cidades.

Também é preciso investir capital em marketing, já que não é todo mundo que tem conhecimento sobre o conceito guarda móveis ou self storage. As pessoas passam a valorizar muito mais o negócio depois que entendem o que é, o conceito e como funciona.

A maioria desses galpões fica no Estado de São Paulo e a oferta tem aumentado cada vez mais. A Metrofit, fundada em 2012, fruto de uma joint venture entre o grupo TRX e a Metro Storage, é uma renomada empresa no setor de espaços para armazenamento de documentos e objetos de pessoas físicas ou jurídicas. Em 2015, a MetroFit Santo André foi eleita a melhor operação de self storage do mundo pelo prêmio norte-americano Best New Facility of the Year. Sua principal missão é proporcionar aos clientes uma locação imediata de espaços em ambientes urbanos. Tudo com muita tranquilidade, confiança e segurança.

Como ter sucesso em seus negócios?

Como ter sucesso em seus negócios?

Montar o seu próprio negócio é o sonho de milhares de brasileiros. Alguns são motivados pelo sonho de trabalhar sem patrão e outros precisam dar o primeiro passo na montagem da sua empresa em função de dificuldades de conseguir um emprego formal de carteira assinada.

 

Independente da motivação, um fato marcante em nosso país é o elevado número de empresas que fecham logo no seu primeiro ano de vida por diversas razões como, por exemplo: falta de conhecimentos sobre o gerenciamento de um negócio, dificuldades em conseguir empréstimos e financiamentos para alavancar o negócio e medo de arriscar e fracassar.

 

Entretanto, apesar desse cenário aparentemente desanimador, o Brasil ainda é um país considerado como entusiasta do empreendedorismo uma vez que ousadia e espírito motivacional são consideradas duas características presentes em boa parcela da população de nosso país.

 

Portanto, se você tem o sonho de abrir seu próprio negócio e controlar as decisões da empresa na qual trabalha, saiba que existem algumas dicas básicas fundamentais para te ajudarem a alcançar sucesso nessa jornada. Desta forma, é hora de tomar coragem e deixar o medo de lado!

1- Conhece-te a ti mesmo

 

Este é um dos ditados gregos mais famosos do mundo e deve ser aplicado logo no início da sua jornada. Afinal, você precisa ter autoconhecimento para saber exatamente em quais áreas poderá obter maior êxito.

2- Invista em conhecimento

 

Para os iniciantes no mundo dos negócios é fundamental investir em conhecimento e preparo, como por exemplo a leitura de livros e estudos relacionados ao nicho de atuação e a realização de cursos ligados às áreas de empreendedorismo e gestão de empresas.

 

Muitos medos e incertezas serão superados simplesmente com a obtenção de informações de qualidade. Portanto, não negligencie estas primeiras etapas na montagem de um negócio.

3- Seja perseverante e determinado

 

As pessoas que conseguem sucesso no empreendedorismo geralmente são aquelas que não desistem quando surgem as primeiras adversidades e aprendem a ser resilientes, ou seja, se recuperar dos tombos e voltar ainda mais fortes.

4- Tente conciliar uma atividade rentável com uma atividade prazerosa

 

Montar um negócio somente porque ele parece ser rentável financeiramente é um erro cometido por muitos empreendedores de primeira viagem. Com o passar do tempo e o aumento das dificuldades, um trabalho penoso será mais um motivador para você abandonar a empresa.

 

Portanto, é essencial que você busque também uma atividade na qual você sinta prazer em trabalhar, pois as chances de sucesso serão amplificadas neste caso.

5- Caso precise de crédito para alavancar a empresa, pesquise as menores taxas de juros

 

Infelizmente, o crédito em nosso país é um dos mais caros do mundo e este fator desanima muitos empreendedores que precisam de dinheiro emprestado para alavancar os negócios de sua empresa.

 

Sendo assim, se você se encontra nesta situação é muito importante que faça diversas pesquisas para comparar as diversas linhas de financiamento e/ou empréstimos para empresas. Nunca aceite o crédito de um banco ou financeira sem antes comparar com no mínimo outras três instituições.

 

Este conselho também se aplica a empréstimos pessoais. Com o avanço da internet, muitas empresas oferecem crédito online com taxas de juros muito mais atrativas do que aquelas oferecidas pelos grandes bancos. Portanto, cuida também das suas finanças pessoais para que isto não atrapalhe as finanças de seus negócios.

 

Esperamos que estes simples conselhos possam te ajudar a ter êxito no mundo dos negócios e que você consiga realizar seus sonhos com a montagem de uma empresa de sucesso!