O mercado de self storage e guarda móveis no Brasil

O mercado de self storage e guarda móveis no Brasil

Com os imóveis cada vez menores, as pessoas têm enfrentado um problema cada vez mais crescente: a falta de espaço para armazenar móveis, objetos e até documentos. Por causa disso, surgiu um novo mercado: o guarda móveis ou self storage, que são galpões, ou boxes, que podem ser alugados para armazenar suas coisas.

Os galpões variam no tamanho (1 m² a 100 m²) e podem ser alugados mensalmente. É comum que eles fiquem em lugares de fácil acesso. O termo “guarda móveis” não é o preferido entre os empresários do ramo, já que não transmite a ideia de proximidade do meio urbano.

Empresas e pessoas usam o self storage para diferentes fins: pessoas costumam guardar móveis durante uma reforma ou itens que não são usados com tanta frequência, como enfeites de Natal ou bicicletas. Já as empresas costumam guardar arquivos antigos ou estoque, por exemplo. As lojas online também têm recorrido bastante a esse serviço para armazenar todo o seu estoque, além de pequenas empresas, que geralmente não dispõe de um lugar adequado para guardar equipamentos eletrônicos, documentos e inventários.

A facilidade de alugar um galpão é um ponto bastante positivo. Não é preciso muita burocracia e com apenas alguns documentos pessoais e comprovante de residência você fecha o negócio. Você paga antecipadamente pelo serviço, cerca de R$ 90,00 o metro quadrado por mês. A altura do galpão é de 3 metros. O valor do metro quadrado diminui se você alugar uma área maior.

A empresa não tem acesso ao galpão que foi alugado e o cliente tem seu próprio cadeado. O cliente precisa informar apenas um valor médio de todos os objetos armazenados para que seja feita uma apólice de seguro.

Não é muito complicado ter esse tipo de negócio. Você precisa investir em monitoramento, segurança e poucos funcionários, tanto para atendimento ao cliente quanto para a manutenção do lugar. Isso não quer dizer que o investimento não seja alto, já que o custo imobiliário exige capital para abertura e manutenção do negócio. A parte mais difícil é encontrar bons galpões dentro das cidades.

Também é preciso investir capital em marketing, já que não é todo mundo que tem conhecimento sobre o conceito guarda móveis ou self storage. As pessoas passam a valorizar muito mais o negócio depois que entendem o que é, o conceito e como funciona.

A maioria desses galpões fica no Estado de São Paulo e a oferta tem aumentado cada vez mais. A Metrofit, fundada em 2012, fruto de uma joint venture entre o grupo TRX e a Metro Storage, é uma renomada empresa no setor de espaços para armazenamento de documentos e objetos de pessoas físicas ou jurídicas. Em 2015, a MetroFit Santo André foi eleita a melhor operação de self storage do mundo pelo prêmio norte-americano Best New Facility of the Year. Sua principal missão é proporcionar aos clientes uma locação imediata de espaços em ambientes urbanos. Tudo com muita tranquilidade, confiança e segurança.

Quiropraxia Campo Grande MS – Acabe com a suas dores em menos de 3 sessões

Em busca de um quiropraxista em Campo Grande-MS? Você chegou ao lugar certo! Neste artigo vamos falar sobre como escolher o profissional ideal para cuidar das suas dores

Quiropraxia Campo Grande MS

A primeira dúvida que várias indivíduos precisam estar se fazendo é: O que é Quiropraxia? A organização Mundial de Saú de classifica-a como uma profissão que possui função de descrever, alimentar e a proteger-se quadros de desordens do sistema neuro-músculo-esquelético.

Pode ser que você esteja se perguntando o acepção de neuro-músculo-esquelético. Segue abaixo a definição:

Neuro – Sistema nervoso

Músculo – Sistema muscular

Esquelético – Ossos

De uma maneira bem resumida, há uma utilização de técnicas manuais que visão ajustar e / ou adulterar as articulações com ênfase nas sub-luxações. A interação entre a coluna vertebral e o sistema músculo-esquelético, além das funções coordenadas pelo sistema nervoso alicerçam a essência da Quiropraxia.

A essencial diferença da Quiropraxia para os demais tratamentos é a não utilização de remédios e / ou quaisquer procedimentos cirúrgicos.

Para que serve a Quiropraxia?

Como aludido antecedentemente no texto, a Quiropraxia possui o propósito de proteger-se e alimentar as lesões no sistema neuro-músculo-esquelético. Precisamente por isto, incluem-se as exigências do corpo como, por adágio:

Dores no ciático

Dores na bacia

Dores no pescoço

Dores nos ombros

Dores nas costas

Dores no braço

Dores no anca

Dores de cabeça e dor de cabeça intensa

Clínica de Quiropraxia Campo Grande-MS

Neste ponto há semelhança com mais tratamentos, no qual o cliente busca o profissional e relata todos os complicações ou desconfortos, a partir daí o profissional analisa os vestígios dados pelo paciente para achar a pleito do dificuldade, evitando alimentar somente os sinais localizados.

No primeiro hora ocorre à realização da investigação que é ensejo pelo profissional, ele utiliza vários mé todos físicos para incentivar vários ajustes nas articulações do paciente.

No de acordo com hora, porém apenas em alguns casos, o profissional indicará uma série de exercícios específicos para incentivar uma adiantamento na reabilitação.

No hora final são passadas muitas orientações ao cliente, visando uma educação e potencializando o inclusive para os benefícios abiscoitados e gerados ao longo a prática e tratamento através da Quiropraxia.

Clínica de tratamento com quiropraxia

Como já foi possível reparar, o tratamento pela Quiropraxia aborda áreas e regiões bem delicadas de nosso corpo como coluna, pescoço, costas e outras articulações em maior parte. Sendo dessa maneira, torna-se bastante fundamental que busquem constantemente profissionais especializados. Observe se o inclusive é agregado à ABQ (Associação Brasileira de Quiropraxia).

Nos EUA e Canadá esta profissão já é regulamentada, situação que também não ocorre no Brasil, porém há 2 bens que são reconhecidas pelo MEC que ofertam esse curso de maneira ção.

Acabando nosso texto desejaremos dizer que a Quiropraxia realizada por profissionais de qualidade, sem dúvidas possui o potencial necessário para alimentar e proteger-se vários tipos de dores.

Dessa maneira como já foi mencionado, inclusive sem a utilização de remédios ou procedimentos cirúrgicos, é uma ferramenta poderosa para a prevenção e manutenção de uma ótima saú de. Lembrem-se constantemente de acudir-se uma ótima Qualidade de Vida.

Para mais informações sobre Quiropraxia Campo Grande MS ligue no número:

Como montar uma Lanchonete de Sucesso [Guia Atualizado 2018]

Se você está pensando em como montar uma lanchonete em 2018 e não tem ideia de por onde começar, vamos mostrar aqui neste artigo, de forma simples, como você poderá investir da maneira correta e aumentar muito suas chances de sucesso. Vamos lá?

Lanchonete

Veja também: Oportunidade de Franquia Digital permite empresários a terem seu próprio Netflix

O Mercado de Lanchonetes

Se você está em dúvida se uma lanchonete da dinheiro, saiba que uma lanchonete possui um modelo de negócio baseado em produtos de alta rotatividade, ou seja, vende todo dia seus produtos.

Ao analisar o mercado brasileiro para montar uma lanchonete, percebe-se uma demanda crescente por esse tipo de empreendimento de alimentação. Isso se deve a um fato bastante reconhecido por estudiosos nos últimos anos:

A forte tendência de se alimentar fora do lar.

Dados da ABIA (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação) mostram que hoje, o brasileiro gasta, em média, 30% do salário dele comendo fora de casa. Para fins de comparação, é mais do que ele gasta com o aluguel da própria casa.

É um mercado muito grande, que movimenta mais de 11 bilhões de reais por mês e atende mais de 200 milhões de consumidores.

Observe o gráfico abaixo.

Em 2016, o setor continua crescendo, o que o torna um dos poucos negócios recomendados para se investir.

O que acontece é que as pessoas precisam, cada vez mais, comer fora de casa – seja por morar longe do trabalho, seja por ter menos tempo no dia-a-dia.

Gráfico Alimentação

Fonte: Exame.

Ou seja: Este é um mercado em crescimento, com excelentes oportunidades para quem quiser investir em um novo negócio.

No entanto, saiba que também é um mercado concorrido e, para se destacar, você precisará de uma boa estratégia para conquistar clientes fiéis.

Fazer um bom planejamento, conhecer seus clientes e analisar o mercado de alimentação são itens de extrema importância.

Estamos disponibilizando um material completo com o método ideal para começar e montar a sua própria lanchonete e ser bem-sucedido. Para acessar, basta clicar no link abaixo:

>>Clique aqui para acessar o E-book “Como Montar uma Lanchonete de Sucesso”<<

Quanto custa para abrir uma lanchonete? 

O investimento inicial para montar uma lanchonete vai variar de acordo com a estrutura que se pretende montar, você precisa considerar tudo o que precisa para montar uma lanchonete. Levando em conta itens como a localização do estabelecimento, os equipamentos e utensílios a serem adquiridos, o cardápio a ser oferecido e o porte da lanchonete.

Estima-se que o custo médio, de uma lanchonete pequena, seja de R$ 40 mil. Contudo, o retorno é rápido.  Como a venda dos lanches geralmente é realizada a vista e não há estocagem de muitos produtos para venda posterior, a movimentação de capital é alta. Essa é uma forte característica do setor de alimentação.

Caso você não tenha esse dinheiro disponível para montar uma lanchonete, existem opções de financiamento disponíveis para pequenos e médios empreendedores, com taxas de juros bem abaixo do que geralmente é encontrado no mercado.

Essas opções são disponibilizadas por programas de incentivo como o BNDES e também por alguns bancos, que enxergam nestes empreendedores um grande potencial.

O que poucas pessoas sabem é que essas taxas podem ser facilmente consultadas pelo site do Banco Central, e que é possível melhorá-las através de negociações e apresentação do projeto da lanchonete.

Explicamos o passo-a-passo de como fazer isso no E-book, e também disponibilizamos uma cartilha de instruções com informações sobre os financiamentos existentes no mercado para montar uma lanchonete.

>>Clique aqui para acessar o E-book “Como Abrir uma Lanchonete de Sucesso”<<

 

5 Dicas  para abrir uma lanchonete:

Se você está sem ideias para lanchonete e não tem bem definido o tipo de lanchonete que deseja abrir, separamos algumas dicas que podem te ajudar a definir o seu negócio:

1. Coloque todos os Custos na ponta do Lápis

Custos Lanchonete

Antes de abrir a sua lanchonete, calcule os custos que você terá ao adquirir utensílios e equipamentos, alugar ou comprar um local, contratar funcionários e montar um estoque. Todos esses custos devem ser considerados no seu projeto, seja ele o projeto de lanchonete pequena ou de grande porte. Essa etapa é essencial para que você tenha controle do seu negócio.

 

Esse tipo de controle logo no começo fará com que você tenha uma noção muito melhor da sua operação. No livro digital que citamos, incluímos diversas ferramentas de controle que facilitam o dia-a-dia da operação e também explicamos como calcular os custos, a diferença entre eles e como gerenciar o estoque.

>>Clique aqui para acessar o E-book “Como Montar uma Lanchonete de Sucesso”<<

2. Monte um cardápio enxuto

Já ouviu falar que quem quer fazer tudo, acaba não sendo bom em nada? Aqui, essa regra também funciona: Se você tentar servir uma variedade muito grande de produtos, alguns deles sofrerão na qualidade.

Ao montar sua lanchonete, pelo menos no começo, evite ter cardápios muito extensos, que exijam que você tenha um estoque caro e com itens de baixo consumo.

Ao invés disso, procure servir poucos itens, mas de excelente qualidade. Assim, você consegue atender muito bem e manter o custo baixo.

O que vender em uma lanchonete? 

Para obter sucesso em um ramo tão competitivo, é muito importante ter um cardápio atrativo, com opções de doces e salgados, e que seja capaz de atender aos diversos gostos.

Se você não sabe o que vender em uma lanchonete, iremos listar alguns produtos que podem ser vendidos facilmente em uma lanchonete. Confira:

  1. Hambúrgueres;
  2. Hot Dogs;
  3. Lanches quentes;
  4. Lanches Naturais;
  5. Sanduíches em baguetes;
  6. Salgados;
  7. Bebidas geladas e quentes;
  8. Doces.

3. Estabeleça uma Relação de Confiança com os Fornecedores

Fornecedor Lanchonete

Essa é uma parte essencial para que você tenha uma lanchonete de sucesso. Seus fornecedores estarão diretamente ligados à satisfação do seu cliente, pois a disponibilidade e a qualidade dos seus produtos finais dependerão da sua matéria-prima.

Dessa forma, é muito importante que você tenha fornecedores de confiança, que estarão dispostos a te atender em casos de urgência e que entreguem produtos com um padrão de qualidade bem estabelecido.

 

4. Conheça seu Cliente

Antes de tudo, saiba que as oportunidades para iniciar o negócio são muitas, você pode abrir uma lanchonete simples, uma lanchonete moderna, uma lanchonete de grande porte ou uma lanchonete pequena. Tudo isso vai variar de acordo com o público que você deseja atingir.

Saber quem são seus clientes antes mesmo de abrir seu negócio é muito importante. Afinal, é com base em informações como faixa etária, poder aquisitivo e estilo de vida dos seus clientes que você definirá coisas como localização e preço médio dos seus produtos, e também entenderá melhor seus hábitos de alimentação.

Em uma lanchonete, geralmente, seus principais clientes são os que estão nos arredores.

Para definir quem são, levante todo tipo de informação possível: São estudantes e recém-formados ou adultos com filhos? Eles residem ou trabalham por perto do seu estabelecimento?

Uma vez definidas as informações, muitas coisas ficarão mais claras.

No livro digital que falamos, existe um capítulo disponibilizado somente para essa parte, além de um material especial que você poderá preencher com todas as informações.

Para acessá-lo, basta clicar no link abaixo:

>>Clique aqui para acessar o E-book “Como Montar uma Lanchonete de Sucesso”<<

5. Invista em uma Fachada Bonita

Pode parecer meio bobo, mas independe de ser uma lanchonete pequena ou de grande porte, acredite: Uma fachada bonita, bem-feita e bem colocada dá excelentes resultados, sim! Esse é o principal motivo pelo qual muitos negócios, inclusive franquias, investem nisso.

Uma boa fachada tem o poder de transmitir profissionalismo, boa higiene, gera curiosidade e consolida sua posição no mercado independente se for uma lanchonete simples ou mais sofisticada.

Basta pensar na diferença entre ganhar um presente embalado e outro “solto”, sem nada. A embalagem dá outra impressão. E a fachada é a embalagem do seu negócio.

Mesmo que você não seja do tipo de pessoa que liga muito pra presentes, é importante ter em mente que a “embalagem” causa sim um efeito visual muito forte.

Ao montar sua lanchonete, a fachada é o que irá gerar curiosidade e atrair as pessoas para conhecer seus produtos.

Se o seu orçamento estiver muito apertado pra fazer esse investimento agora, pense em alternativas, mas não abra mão de deixar o seu negócio visualmente atrativo.

Os 4 Principais Erros que as Pessoas cometem ao Montar uma Lanchonete

Agora, vamos apresentar aqui os 4 principais erros que as pessoas cometem e que podem acabar atrapalhando o bom andamento dos seus negócios e, em alguns casos, até mesmo gerando prejuízos.

Os 4 Principais Erros ao Montar uma Lanchonete

1. Pecar na Higiene do Local

Pode até parecer que não, mas acredite: o cliente repara na limpeza de todo o ambiente, da cozinha, dos pratos e da comida que está comendo. E basta um escorregão na higiene para que ele não retorne novamente.

Também, não é pra menos: Quando se trata de alimentação, é preciso ter cuidado.

Por isso, tenha bastante atenção neste quesito: Procure seguir todas as normas da ANVISA e, mais do que isso, faça o máximo para que o estabelecimento como um todo esteja sempre limpo e impecável.

 

No e-book que falamos acima, inserimos um manual com instruções de como seguir as normas da ANVISA e não ter problemas com isso – nem com clientes, nem com possíveis fiscalizações.

>Clique aqui para acessar o E-book “Como Montar uma Lanchonete de Sucesso”<<

2. Abrir sem Nenhum Planejamento

Apesar de ser uma prática bastante comum, é um grande erro para quem deseja abrir um negócio.

Existem muitas pessoas que resolvem investir tempo e dinheiro em um projeto e “ver o que dá”.

Vamos direto ao ponto: Dá pra ter uma lanchonete de sucesso sem fazer nenhum tipo de planejamento? E a resposta é SIM, é possível

No entanto, o risco de não obter retorno e ter prejuízo é muito alto, pois não tem como administrar bem o negócio sem entender como funciona tudo, e onde fica o que.

Por isso, recomendamos que sempre seja feito um planejamento bem estruturado, e então as chances de sucesso serão muito maiores.

3. Não Treinar os Funcionários

Funcionários Lanchonete

Muitos donos de lanchonete acreditam que bastam contratar alguém para cozinhar e atender os clientes e o resto se fará sozinho. E é aí que perdem muitos clientes:

Hoje, o cliente está mais exigente e dará prioridade aos lugares nos quais se sente melhor atendido. E, mesmo que o seu funcionário seja esforçado, ele precisa de orientações para fazer um bom trabalho na sua lanchonete.

Portanto, um funcionário que seja treinado para atender da melhor forma, assim como um que entenda como fazer os pratos da maneira correta, são diferenciais importantíssimos, que lhe darão uma grande vantagem frente à concorrência.

Procure treinar seus funcionários para que saibam atender de forma ágil e educada, e seus clientes sempre se lembrarão do seu estabelecimento e retornarão satisfeitos.

No e-book que disponibilizamos, fornecemos um método para que você possa estabelecer um padrão de qualidade na sua lanchonete, tanto para os produtos que serão feitos na cozinha, quanto no atendimento.

>>Clique aqui para acessar o E-book “Como Montar uma Lanchonete de Sucesso”<<

4. Vender fiado

Lanchonete Cobrança

Ao montar uma lanchonete, muitas pessoas resolvem “anotar no caderninho” e deixar para o cliente pagar depois.

O problema, infelizmente, é que é muito comum que os clientes acabem não pagando depois, e o estabelecimento fique no prejuízo.

Hoje em dia, não há motivo para trabalhar dessa forma.

Ao abrir seu negócio, tenha uma máquina que aceite cartões de diversas bandeiras, e procure guardar moedas e notas de menor valor para garantir que sempre tenha troco para o cliente na sua lanchonete.

Conclusão

Montar uma lanchonete em 2018 pode ser um excelente negócio quando administrado de maneira correta. Ao fazer um bom planejamento e cuidar dos detalhes, as chances de ter um estabelecimento bem-sucedido são grandes.

Mesmo sendo um mercado concorrido, ainda há espaço para novos empreendedores que queiram trabalhar nesse ramo. Não tenha dúvidas, abrir uma lanchonete da lucro.

E aí, gostou das informações? Não deixe de conferir nosso livro digital e ter acesso ao material completo:

>>Clique aqui para acessar o E-book “Como Abrir uma Lanchonete de Sucesso”<<

 

Desejamos a você muito sucesso na sua jornada, e esperamos que tenha gostado do artigo.

Não deixe de dar sua opinião na caixa de comentários! 😉

 

 

Sistema Conta Azul é bom? [Leia antes de assinar o software]

Sistema Conta Azul é bom? [Leia antes de assinar o software]

Olá pessoal, tudo bem?

Muitos me perguntam qual sistema financeiro eu utilizo na minha empresa de marketing e hoje vou fazer um review do sistema que uso! O meu programa preferido há mais de 2 anos é o sistema Conta Azul. Diferentes de outros ERP do mercado ele descomplica diversas funções que todo o micro e pequeno empresário precisa para gerir as finanças. Por isso vou ressaltar alguns pontos positivos dele aqui:

Design

Ao começar pelas cores e da tipografia, o sistema é bem leve de se olhar e agrada os olhos. Pode parecer um detalhe inútil, mas na hora de preencher os dados e questões mais burocráticas, o design te faz se sentir como em uma ferramenta moderna, simples e fácil de usar.

Você logo encontra as funcionalidades que precisa e dados importantes como Contas a Pagar e Contas a Receber ficam destacadas com cores diferentes, ajudando você a compreender melhor as informações disponibilizadas.

sistema contaazul é bom

Funcionalidades

As funcionalidades são inúmeras! Por isso vou citar aqui apenas aquelas que eu mais uso:

Controle de Estoque;
Controle de Vendas;
Controle Financeiro;
Fluxo de Caixa;
Extrato Bancário;
Fornecedores;
Lista de preços e clientes;

 

(Para visualizar todas as outras funcionalidades é só clicar aqui)

O que eu gosto bastante é que na hora de fechar as contas do mês ou fazer o balanço mensal, eu passo o login para meu contador e ele resolve todas as pendências contábeis da empresa desta maneira. Não é atoa que ele também tem indicado o Sistema ContaAzul para todos os seus clientes, pois facilita o trabalho de todos!

 

 

Afinal, o sistema Conta Azul é bom?

Dou meu veredito final: Vale a pena! O Conta Azul é confiável e ainda permite que você experimente 15 dias totalmente gratuitos! Para começar a utilizar seus 15 dias gratuitos é só clicar aqui.

Qualquer outra dúvida sobre o sistema é só deixar na seção de comentários! Terei o prazer de te ajudar a usar esta incrível ferramenta :)

Outros links e referências sobre a Conta Azul:

http://computerworld.com.br/contaazul-conclui-integracao-de-sua-plataforma-com-o-banco-do-brasil

https://www.baguete.com.br/noticias/18/08/2017/bb-tem-integracao-com-contaazul

10 técnicas de vendas indispensáveis para você vender mais em 2018

Muitas vezes as pessoas não se dão conta disso, mas a atividade de vendas e atendimento, apesar de muito focada na intuição e no relacionamento, deve ser pautada por uma série de técnicas de vendas e boas práticas que realmente funcionem.

As melhores técnicas de vendas

Você precisa ter as melhores técnicas de vendas em sua manga para conseguir atender sua cota de vendas. A cada dia que passa, a equipe comercial ganha mais desafios para atender às expectativas do cliente e tirar o máximo proveito do seu funil de vendas. Algumas mudanças simples podem fazer você vender mais. Desde o momento em que você gera um lead até o momento em que você fechou sua venda, você precisa ser rigoroso sobre seus processos de vendas.

Por isso, é primordial olhar com cautela para seu processo de venda e entender alguns pontos que são determinantes para trazer novos clientes e fechar mais negócios para sua empresa.

Técnicas de vendas infalíveis

As técnicas de fechamento de vendas criam confiança e quebram barreiras para você. Mas elas não são intuitivas. Você precisa conhecê-las em primeiro lugar e praticá-las. Cada uma das técnicas listadas abaixo é utilizada pelas melhores equipes de vendas e são as que, com esforço e dedicação, melhor te guiarão no caminho rumo a números maiores. Quando bem aplicadas, essas técnicas de vendas podem se tornar uma receita para ter um funil de vendas maduro e um fluxo saudável de clientes para a sua empresa.

1. O princípio das técnicas de vendas: seja sistemático ao gerar leads

Antes de tudo, é preciso que você compreenda o significado das seguintes palavras:

  • Suspect: alguém que possa se tornar, possivelmente e futuramente, um comprador da marca. Ou seja, é uma oportunidade de negócio que ainda precisa amadurecer e passar por outras etapas do funil de vendas para que possa amadurecer e se tornar, de fato, uma oportunidade para o time de vendas.
  • Prospect: quando percebe-se que o suspect possui características que o qualificam entre o público-alvo de suas ações de marketing de conteúdo, como entendimento da necessidade do seu produto ou serviço, disponibilidade financeira e capacidade para tomada de decisões, é o momento de prospectá-lo.
  • Lead: pode ser compreendido como uma qualificação básica para determinado contato entrar no radar de uma empresa. Para isso, basta que se tenha o endereço de email do contato para torná-lo um lead, de modo que o suspect e o prospect também são leads. No entanto, é preciso segmentar estes contatos para que seja possível definir qual o estágio de maturidade do contato e considerar projetá-lo, ou não, como oportunidade de negócio para o time de vendas.

É muito importante pensar nos negócios futuros e o primeiro passo é garantir que sua empresa gere sistematicamente leads suficientes para manter uma frequência nas vendas.

Defina metas específicas para o número de prospects que deseja no seu funil de vendas.

Planeje o número de compromissos que você pretende garantir com potenciais clientes todas as semanas para atingir esses objetivos.

Use o resto do tempo para lidar com seus projetos de vendas em andamento.

Gerar leads não é necessariamente a parte mais fácil do seu trabalho, mas é uma necessidade se você deseja gerar vendas consistentes.

2. Entenda seu cliente

É fundamental conhecer quem compra de você. Dentro das técnicas de vendas que você vai utilizar no seu negócio, essa pode ser considerada umas das mais importantes. É imprescindível para construir um bom processo comercial conhecer o seu cliente e saber seu comportamento de compra. Dessa maneira, você consegue direcionar melhor seus esforços e deixar mais bem fluída a sua abordagem.

Quando você conhece seu cliente, seus argumentos, postura e até os dados que você vai utilizar durante uma negociação passam a ser mais assertivos, tornando todo o processo mais enxuto e coeso.

É importante saber quais números ou informações são relevantes para um cliente durante um processo de compra, bem como entender pelo que ele se interessa ou não em conhecer. Dessa maneira, você consegue se comunicar de um jeito mais empático e utilizar essa técnica de vendas como uma metodologia para fazer o cliente entender e confiar em você. Se você vende roupas para meninas, por exemplo, de nada adianta você falar que a fábrica onde são produzidas as roupas trabalha com maquinários novos e de tecnologia de ponta. Não é isso que sua cliente iria querer ouvir, o que é diferente de falar, por exemplo, que alguma famosa posou para a capa de uma revista usando essa roupa – o impacto é muito maior porque você conhece o seu cliente.

3. Conheça o seu ciclo de vendas

O tipo de negócio em que você estará determinará o seu ciclo de vendas, que é o tempo que decorre entre uma reunião inicial com um cliente em potencial e o fechamento de um acordo. Isso pode variar muito de uma empresa para outra. No entanto, você precisa entender exatamente quanto tempo leva em média, medido em dias, semanas ou meses.

 

Para calcular o comprimento do seu ciclo de vendas:

  1. Faça uma lista das suas 20 vendas fechadas mais recentes
  2. Anote quanto tempo cada um tomou
  3. Calcule a média

 

4. Separe um tempo para buscar por novos clientes

Para que sempre surjam novos prospects, essa função não pode ser abandonada. Apesar das negociações e fechamentos de vendas serem muito importantes, precisam existir clientes para elas acontecerem, caso contrário a empresa não terá quem atender. Essa é uma técnica de vendas que precisa tomar uma parte da sua agenda: Separe um tempo do seu dia ou semana para buscar por novas oportunidades de negócio. Você descobrirá quanto tempo será necessário dedicar conforme seu próprio processo se desenvolve, mas o recomendado é que pelo menos 20% do seu trabalho de vendas seja dedicado a isso.

Portanto, para aumentar suas vendas e manter um bom fluxo de clientes, é primordial tratar de trazê-los até sua empresa. Há quatro métodos principais de conseguir novos clientes:

Ligações:

É o mais subestimado dos métodos, muitas pessoas inclusive tem medo e até preconceito contra ligações de vendas, mas, ainda assim, esse é um dos mais poderosos caminhos de se adquirir novos clientes. Para que essa estratégia dê certo, é preciso que você tenha uma lista com potenciais clientes e seus respectivos telefones e o resto já deve estar bem claro: Ligar para cada um deles e oferecer o seu produto.

Nesse método a empresa pode usar scripts, testar abordagens e simplesmente testar. O ideal é começar com pelo menos 20 novos contatos, assim é possível medir a aceitabilidade do produto ou da abordagem e fazer eventuais mudanças no script para chegar ao melhor método.

Redes sociais:

As redes sociais podem ser usadas para mais coisas do que só um mecanismo de atrair clientes. Você pode também buscar clientes ativamente através dessa rede, enviando convites, conversando, interagindo e oferecendo valor àqueles com quem você pretende fazer negócios. Algumas redes sociais podem ser muito assertivas na hora de procurar por clientes:

LinkedIn

Muito eficiente se utilizado para vendas b2b (business to business, vendas que são feitas de uma empresa para outra empresa)

Instagram

Isso mesmo, o Instagram pode trazer muitos resultados quando utilizado para vendas b2c (business to consumer, vendas que são realizadas para o consumidor), enviando mensagens diretas aos seus prospects e atingindo novos consumidores.

Porta a porta:

Outro método que acabou sendo esquecido com o tempo, mas que pode trazer bons clientes e mais vendas para seu negócio. Que tal agendar algumas visitas nas empresas ou casas dos clientes, levar seus produtos/propostas e fazer demonstrações? Você pode se surpreender com os resultados desse método quando bem aplicado.

Emails:

Bem semelhante ao método de ligações, mas com o benefício de conseguir atingir mais gente em menos tempo. Emails podem ser uma boa forma de chegar até seus clientes de maneira rápida com mensagens de venda e promoções. Assim, sua empresa pode ganhar clientes em maior escala e usar mensagens mais incisivas focadas na venda.

O lado negativo de utilizar emails é que nem todos os seus contatos podem chegar a ver (ou até receber) sua mensagem, e boa parte delas poderá ficar pelo caminho. Portanto, se optar por utilizar essa estratégia, é primordial ter um controle de visualizações e aberturas para poder medir com clareza os resultados da sua campanha.

5. Conheça seus números

Toda empresa precisa de um número mínimo de prospects para manter as vendas. Observe o número de transações fechadas que você quer todos os meses, bem como o ciclo médio de vendas. Você também deve saber qual a proporção de quantos prospects contactados fecharam negócio. Esses números irão ajudá-lo a definir metas para sua empresa.

Exemplo:

Calcule o mínimo viável de vendas que você pode fazer em um mês. Para isso, talvez seja necessário contratar um contador.

Digamos que seu negócio precisa vender três itens por mês.

Digamos também que, em média, leva quatro meses desde o primeiro contato com um cliente para fechar uma venda.

1 dos 4 prospects contactados pela equipe de vendas eventualmente compra, o que significa que você possui uma proporção próxima de 25%.

3 itens x 4 meses / 25% = 48

Nesse cenário, enquanto você mantiver 48 leads ativos em qualquer momento, você pode ter certeza de que você fechará três transações por mês. É simples assim. Se você decidir aumentar seu resultado mensal para quatro transações fechadas, então você precisará manter uma lista de 64 clientes ativos e assim por diante.

Tendo esse conhecimento, empresários podem estabelecer metas específicas e mensuráveis para seus vendedores.

6. Dê ouvidos aos prospects

De acordo com Mark Roberge, vice-presidente de vendas e serviços da HubSpot, “Você sabe que está executando uma equipe de vendas moderna quando vender se parece mais com a relação entre um médico e um paciente e menos com a relação entre um vendedor e um prospect”.

O que ele quis dizer c

om isso? É que, para sermos vendedores eficazes, precisamos ouvir seus clientes potenciais. É importante que, como vendedor, você se preocupe com seu potencial cliente. Isso ajudará a construir confiança e a fechar negócios.

7. Concentre-se nos benefícios

Com que frequência você recebe um telefonema de um vendedor e tudo o que eles falam são os novos recursos do produto que eles estão oferecendo? Você escuta educadamente, mas pensa “Sim, mas como isso me ajuda?”.

A verdade é que os recursos não o ajudam. Pelo menos da forma como eles são geralmente posicionados pelas vendas. O que você realmente quer saber é: “Como o que você está vendendo vai resolver o meu problema?”. Essencialmente, você quer saber como você vai se beneficiar.

Como vendedor, essa diferenciação é fundamental. Em vez de se concentrar nos recursos da sua solução, pense em como esses recursos podem beneficiar seu prospect. Quando você conversa sobre os benefícios, será muito mais fácil convencê-los de que o produto pode efetivamente resolver suas necessidades.

8. Use sua equipe de marketing como técnica de fechamento de vendas

Não podemos dizer o suficiente, mas marketing e vendas precisam estar trabalhando juntos, como um time integrado dentre todas as ferramentas e técnicas de fechamento de vendas. Há tanto que esses dois departamentos podem aprender uns com os outros que podem ajudar a organização a alcançar seu principal objetivo de gerar mais receita.

No lado das vendas, use sua equipe de marketing para sua vantagem. Fale com eles sobre o que seus clientes estão dizendo – eles estão respondendo bem a um conteúdo? Eles não gostaram do webinário em que participaram? Compartilhe essas ideias com sua equipe de marketing para que eles possam continuar a alimentar suas lideranças de qualidade superior e superior.

Você também deseja compartilhar seus relatórios com a equipe de marketing. Transparência total irá ajudá-lo a ser mais eficaz. O marketing é responsável pela entrega de leads. Então, se você pode mostrar-lhes quais tipos de leads estão fechando, ou quanto tempo você está levando você a fechar uma venda, porque as ligações não estão prontas para falar com alguém, então eles são capazes de mudar suas campanhas de marketing para explicar isso. Use-os como um aliado, não como um inimigo como fazem tantas empresas. Nós prometemos que você verá os retornos.

9. Demonstrações no local

Uma demonstração no local é a abordagem ideal para a venda de software ou equipamentos complexos. Pode ser um desafio gerenciar a logística dessa demo, mas vale a pena. Comprometer-se a uma visita no local mostra as suas perspectivas três coisas:

  • Você não tem nada a esconder, pois está mostrando seu produto em ação, face a face;
  • Você está pensando seriamente sobre exatamente como seu produto pode agregar valor para um cliente;
  • Você está comprometido em fazer o que é necessário para fazer um acordo – incluindo suporte pós-venda.

Tais técnicas de vendas geralmente requerem coordenação de vários membros da equipe – incluindo engenheiros de vendas e outros. Todo esse esforço extra tem o efeito de provar que sua empresa está realmente equipada para oferecer um alto nível de serviço.

Também dá ao seu lead a oportunidade de fazer algum trabalho por você: ele ou ela pode começar a imaginar como sua solução se encaixará no atual clima de negócios. É fácil para a liderança começar a pensar em termos de justificar a decisão – uma vez que os locais tomam tempo para planejar e agendar.

As probabilidades são boas de que um cliente potencial não passará por mais de dois ou talvez três sites, e quererá que estejam fora do caminho o mais rápido possível. Fazer uma forte impressão pode significar que qualquer concorrente será deixado para trás, de modo que um acordo de vendas pode entrar mais rápido.

10. Cuide do seu cliente mesmo depois da compra

O seu relacionamento com o cliente não deve acabar quando a venda é concluída. Seja seu cliente uma empresa ou um consumidor final, é essencial manter o contato (e o cuidado) com o comprador mesmo após encerrado o ciclo de vendas. Essa técnica de vendas pode te ajudar a manter seus clientes fiéis, ou seja, garantir que eles façam compras recorrentes e permaneçam consumindo seus produtos, assim como também facilita que sua marca seja propagada pelo público por conta do bom atendimento e qualidade dos seus serviços, o que definitivamente irá ajudar a alavancar suas vendas.

Não apareça para seu consumidor somente quando tiver algo a oferecer. Esteja sempre próximo e disposto a resolver os problemas que estiverem ao seu alcance, e, acima de tudo, mostre que você está buscando ajudar e se importando. No final das contas, o cliente é o único que pode salvar suas vendas.

O que está vendendo mais em 2018?

Estamos na era da informação, logo, os clientes estão cada vez mais nutridos de dados e informações sobre os produtos e serviços, sobre o mercado e até mesmo sobre a sua empresa. Então, é essencial para todos os vendedores internos e externos, consultores comerciais, corretores, gerentes, diretores de vendas (e quaisquer outros ligados ao departamento comercial de uma empresa) conhecer com detalhes o produto que está sendo comercializado. Assim, além de conquistar maior confiança dos seus consumidores, você ainda consegue se posicionar como uma autoridade e servir de referência para o seu público.

Lembre-se que para uma venda acontecer, você precisa que seu cliente confie na sua empresa, então estude muito bem o seu produto, treine sua abordagem mas, acima de tudo, seja honesto com quem compra de você, só assim é possível construir uma estratégia de vendas infalível.

Agora é sua vez. Há algo que perdemos? Compartilhe suas dúvidas nos comentários e nos deixe conhecer suas técnicas de vendas também!

 

Gerenciamento de empresas utilizando softwares online

A internet mudou completamente a forma de gerenciamento de empresas e a relação entre consumidor, fornecedor e produto. Antes mesmo desta era da computação nas nuvens, as empresas já se beneficiavam da tecnologia para automatizar seus processos. Muitas empresas, com a ascensão de soluções digitais, criaram algum nível de presença online, seja na forma de websites para mostrar sua marca, como também para agilizar no atendimento e suporte para resolver os diversos problemas e ir além da relação de atendimento por telefone. Até o próprio telemarketing obteve benefícios utilizando softwares de gerenciamento de atendimento ao cliente.

A solução ainda usada em grande parte das empresas, principalmente no Brasil são softwares de gerenciamento e integração como o SAPERP e BPM, como abordado pelo Daniel do Startup.me no meu blog. Estas soluções atuaram no mercado durante muito tempo, e ainda são significativas nos processos de integração e tarefas corriqueiras como preenchimento de formulários para gerar diversos tipos de documentos usados nas empresas e no seu eco-sistema de funcionamento.

A era do cloud-computing para soluções integradas entre empresas

No mundo corporativo, há uma grande demanda do uso de soluções baseadas em computação nas nuvens de forma a ajudar no gerenciamento dos processos empresariais. Estes serviços já fazem parte das nossas vidas no nosso dia a dia como uso compartilhado de arquivos e documentos utilizando o Google Drive, Dropbox e afins. Agora essas ferramentas também invadem as empresas e a forma como seus processos funcionam. Muitas vezes até barateiam o custo de softwares de gerenciamento, além de não necessitar de uma infra-estrutura própria que pode ficar bem cara e inviabilizar seu uso. Algumas empresas já trocaram soluções do pacote Office (Word, Excel, Power Point) por soluções totalmente online como Google Docs, Spreadsheet and Google Presentation.

Softwares baseados em cloud-computing oferecem diversas vantagens:

  • Não precisam ser instalados num computador, onde a atualização da versão requer um suporte e nova instalação feita pela empresa, tendo que receber o software por mídias, ou atualizações guiadas pelo suporte;
  • Integração entre empresas que podem se comunicar online, além de grandes empresas poderem ter acesso a suas filiais e controles otimizados de recursos entre elas;
  • Muitas soluções são gratuitas ou por demanda, desta forma você paga proporcionalmente ao tamanho da empresa e quantidade de uso de recursos que ela oferece.

Atualizações dos softwares

Com plataformas B2B remotas, há maneiras destas ferramentas se auto atualizarem, bastando ter uma conexão ativa com a internet e autorização do usuário com as devidas permissões para fazê-lo. Desta forma não é necessário contactar nenhum suporte ou obter o software físico, ou nem mesmo realizar download.

Integração entre empresas

Essas plataformas permitem que as empresas não fiquem com seus processos e documentos de forma isolada. Elas na verdade integram um complexo ecossistema de novas empresas e fornecedores por diversas ferramentas. Há soluções entre sistemas distribuídos que compartilham seus dados. Normalmente, isto era feito em forma de redes internas entre empresas e suas filiais, e agora pode ser feito de forma mais integrada, inclusive com outras empresas da rede.

Modelo Marketplace

O modelo Marketplace de gerenciamento de empresas usando soluções online faz com que empresas e fornecedores deixem de ser “silos” e passem a viver numa rede onde seus sistemas podem se integrar e uma empresa ser “visível” para outras, compartilhando produtos e possibilitando negócios online entre elas.

Quais são estas empresas?

Muitas das soluções baseadas em softwares instalados ou em rede ainda não oferecem soluções completamente online, embora a maior delas, a SAP, tenha feito uma investida e comprado a Startup Ariba. Novas startups surgiram para suprir e investir nesta demanda de gerenciamento de empresas utilizando uma plataforma mais flexível e integrada, não só entre seus diversos setores e filiais, mas com outras empresas e fornecedores.

No Brasil ainda há poucas soluções que seguem esta linha, muitas empresas que apostam nesta perspectiva utilizam softwares que atuam em diversos países, eu vou citar as principais aqui:

Tradeshift

Tradeshift atua em 6 países (ainda não atua no Brasil) e é uma das maiores plataformas de gerenciamento de empresas B2B. Ela possui um marketplace com milhares de empresas utilizando seus sistemas e permitindo integração entre fornecedores e produtos em sua rede. É como um Facebook entre empresas com suas diversas relações.

Ela oferece diversas soluções de compra e venda e integração entre compradores e fornecedores. Tradeshift conecta 800.000 empresas em 190 países e tem escritórios em São Francisco, Copenhagen, New York, Londres, Paris, Tokyo, Munique e Sydney.

SAP Ariba

Uma plataforma SAP online que atua em diversos países, inclusive no Brasil. Ela oferece soluções para controle de fornecedores e produtos entre empresas, controle de finanças e recursos, e gerenciamento de contas e-commerce.

Praticamente todos setores da empresa e tamanhos podem utilizar das soluções que a plataforma Ariba oferece: desde gerenciamento de dados otimizados e inteligência a ferramentas para tomada de decisões.

Em maio de 2012, a SAP comprou a Ariba por US$ 4.3 bilhões. Esta transação foi um marco para tornar a empresa cada vez mais digital e oferecer soluções Web e aumentar seu domínio em softwares empresariais.

Para cada empresa, uma solução mais adequada para você

Devido a esta diversidade de soluções online de gerenciamento e formas de integração, há diversas possibilidades para sua empresa utilizar uma solução viável que caiba no seu bolso e dispense o uso de qualquer infraestrutura de TI para tornar possível automatizar seus processos, e desta forma não pagar um valor equivalente a uma empresa maior. Estas ferramentas permitem a utilização de contas por demanda e diversas soluções que se encaixam com o seu contexto e realidade. Dependendo do tamanho da empresa, até ferramentas online independentes podem se adequar e ter custo zero para ajudar nos processos.

Já para uma empresa maior, com filiais e uma rede de fornecedores, você pode utilizar soluções como as citadas aqui para possibilitar integrações e automatizações entre os diversos setores internos, interligados com suas filiais e fornecedores, que quando também se utilizam da mesma plataforma, podem fechar negócios e fazer movimentações e assim utilizar uma solução online única.

Escrito por Alexandre Magno, Software Engineer na Tradeshift, em Copenhagen. Trabalha há mais de 10 anos com desenvolvimento de software. Começou com projetos hoje referência em guias de viagem como o Conexão Paris (http://www.conexaoparis.com.br) e ajudando os desenvolvedores com diversos tutoriais no seu blog Webpoint (http://www.alexandremagno.net).

Trabalhou por muitos anos na Globo.com como referência no desenvolvimento front-end e das interfaces de diversos produtos da empresa, onde desenvolveu componentes, bibliotecas e soluções, bem como a sua adaptação na era Mobile. Escreveu o livro Mobile First Bootstrap, o framework front-end mais utilizado no mercado.

Trabalhou com diversas tecnologias e linguagens como Python, Ruby, Node.js e Javascript. Possui algumas iniciativas de empreendedorismo com sua Truppie (http://www.truppie.com), com pitadas de internet das coisas utilizando Arduino.