Gerenciamento de empresas utilizando softwares online

A internet mudou completamente a forma de gerenciamento de empresas e a relação entre consumidor, fornecedor e produto. Antes mesmo desta era da computação nas nuvens, as empresas já se beneficiavam da tecnologia para automatizar seus processos. Muitas empresas, com a ascensão de soluções digitais, criaram algum nível de presença online, seja na forma de websites para mostrar sua marca, como também para agilizar no atendimento e suporte para resolver os diversos problemas e ir além da relação de atendimento por telefone. Até o próprio telemarketing obteve benefícios utilizando softwares de gerenciamento de atendimento ao cliente.

A solução ainda usada em grande parte das empresas, principalmente no Brasil são softwares de gerenciamento e integração como o SAPERP e BPM, como abordado pelo Daniel do Startup.me no meu blog. Estas soluções atuaram no mercado durante muito tempo, e ainda são significativas nos processos de integração e tarefas corriqueiras como preenchimento de formulários para gerar diversos tipos de documentos usados nas empresas e no seu eco-sistema de funcionamento.

A era do cloud-computing para soluções integradas entre empresas

No mundo corporativo, há uma grande demanda do uso de soluções baseadas em computação nas nuvens de forma a ajudar no gerenciamento dos processos empresariais. Estes serviços já fazem parte das nossas vidas no nosso dia a dia como uso compartilhado de arquivos e documentos utilizando o Google Drive, Dropbox e afins. Agora essas ferramentas também invadem as empresas e a forma como seus processos funcionam. Muitas vezes até barateiam o custo de softwares de gerenciamento, além de não necessitar de uma infra-estrutura própria que pode ficar bem cara e inviabilizar seu uso. Algumas empresas já trocaram soluções do pacote Office (Word, Excel, Power Point) por soluções totalmente online como Google Docs, Spreadsheet and Google Presentation.

Softwares baseados em cloud-computing oferecem diversas vantagens:

  • Não precisam ser instalados num computador, onde a atualização da versão requer um suporte e nova instalação feita pela empresa, tendo que receber o software por mídias, ou atualizações guiadas pelo suporte;
  • Integração entre empresas que podem se comunicar online, além de grandes empresas poderem ter acesso a suas filiais e controles otimizados de recursos entre elas;
  • Muitas soluções são gratuitas ou por demanda, desta forma você paga proporcionalmente ao tamanho da empresa e quantidade de uso de recursos que ela oferece.

Atualizações dos softwares

Com plataformas B2B remotas, há maneiras destas ferramentas se auto atualizarem, bastando ter uma conexão ativa com a internet e autorização do usuário com as devidas permissões para fazê-lo. Desta forma não é necessário contactar nenhum suporte ou obter o software físico, ou nem mesmo realizar download.

Integração entre empresas

Essas plataformas permitem que as empresas não fiquem com seus processos e documentos de forma isolada. Elas na verdade integram um complexo ecossistema de novas empresas e fornecedores por diversas ferramentas. Há soluções entre sistemas distribuídos que compartilham seus dados. Normalmente, isto era feito em forma de redes internas entre empresas e suas filiais, e agora pode ser feito de forma mais integrada, inclusive com outras empresas da rede.

Modelo Marketplace

O modelo Marketplace de gerenciamento de empresas usando soluções online faz com que empresas e fornecedores deixem de ser “silos” e passem a viver numa rede onde seus sistemas podem se integrar e uma empresa ser “visível” para outras, compartilhando produtos e possibilitando negócios online entre elas.

Quais são estas empresas?

Muitas das soluções baseadas em softwares instalados ou em rede ainda não oferecem soluções completamente online, embora a maior delas, a SAP, tenha feito uma investida e comprado a Startup Ariba. Novas startups surgiram para suprir e investir nesta demanda de gerenciamento de empresas utilizando uma plataforma mais flexível e integrada, não só entre seus diversos setores e filiais, mas com outras empresas e fornecedores.

No Brasil ainda há poucas soluções que seguem esta linha, muitas empresas que apostam nesta perspectiva utilizam softwares que atuam em diversos países, eu vou citar as principais aqui:

Tradeshift

Tradeshift atua em 6 países (ainda não atua no Brasil) e é uma das maiores plataformas de gerenciamento de empresas B2B. Ela possui um marketplace com milhares de empresas utilizando seus sistemas e permitindo integração entre fornecedores e produtos em sua rede. É como um Facebook entre empresas com suas diversas relações.

Ela oferece diversas soluções de compra e venda e integração entre compradores e fornecedores. Tradeshift conecta 800.000 empresas em 190 países e tem escritórios em São Francisco, Copenhagen, New York, Londres, Paris, Tokyo, Munique e Sydney.

SAP Ariba

Uma plataforma SAP online que atua em diversos países, inclusive no Brasil. Ela oferece soluções para controle de fornecedores e produtos entre empresas, controle de finanças e recursos, e gerenciamento de contas e-commerce.

Praticamente todos setores da empresa e tamanhos podem utilizar das soluções que a plataforma Ariba oferece: desde gerenciamento de dados otimizados e inteligência a ferramentas para tomada de decisões.

Em maio de 2012, a SAP comprou a Ariba por US$ 4.3 bilhões. Esta transação foi um marco para tornar a empresa cada vez mais digital e oferecer soluções Web e aumentar seu domínio em softwares empresariais.

Para cada empresa, uma solução mais adequada para você

Devido a esta diversidade de soluções online de gerenciamento e formas de integração, há diversas possibilidades para sua empresa utilizar uma solução viável que caiba no seu bolso e dispense o uso de qualquer infraestrutura de TI para tornar possível automatizar seus processos, e desta forma não pagar um valor equivalente a uma empresa maior. Estas ferramentas permitem a utilização de contas por demanda e diversas soluções que se encaixam com o seu contexto e realidade. Dependendo do tamanho da empresa, até ferramentas online independentes podem se adequar e ter custo zero para ajudar nos processos.

Já para uma empresa maior, com filiais e uma rede de fornecedores, você pode utilizar soluções como as citadas aqui para possibilitar integrações e automatizações entre os diversos setores internos, interligados com suas filiais e fornecedores, que quando também se utilizam da mesma plataforma, podem fechar negócios e fazer movimentações e assim utilizar uma solução online única.

Escrito por Alexandre Magno, Software Engineer na Tradeshift, em Copenhagen. Trabalha há mais de 10 anos com desenvolvimento de software. Começou com projetos hoje referência em guias de viagem como o Conexão Paris (http://www.conexaoparis.com.br) e ajudando os desenvolvedores com diversos tutoriais no seu blog Webpoint (http://www.alexandremagno.net).

Trabalhou por muitos anos na Globo.com como referência no desenvolvimento front-end e das interfaces de diversos produtos da empresa, onde desenvolveu componentes, bibliotecas e soluções, bem como a sua adaptação na era Mobile. Escreveu o livro Mobile First Bootstrap, o framework front-end mais utilizado no mercado.

Trabalhou com diversas tecnologias e linguagens como Python, Ruby, Node.js e Javascript. Possui algumas iniciativas de empreendedorismo com sua Truppie (http://www.truppie.com), com pitadas de internet das coisas utilizando Arduino.

Crescimento do mercado de aplicativos móveis

Crescimento do mercado de aplicativos móveis

 crescimento mercado aplicativos moveis

Os telefones móveis podem ser considerados como o produto de maior destaque no século 21. Quando os celulares foram lançados eram muito grandes e por isso foram apelidados de “tijolão”, e somente pessoas com melhores condições financeiras podiam comprar um. Com o passar do tempo eles evoluíram, se tornaram cada vez menores, cabendo na palma de uma mão. A popularidade consequentemente cresceu em disparada e hoje em dia é praticamente impossível encontrar alguém que não tenha um celular. O smartphones chegaram com toda força ao mercado, são celulares que possuem várias funções diferentes e mudaram o universo tecnológico. Com um smartphone em mãos se tornou muito fácil acessar a internet banda larga e através deles, se divertir jogando sinuca online ou vários outros jogos – mania que se espalhou pelo mundo inteiro.

O Simon da IBM fabricado em 1993 foi o primeiro celular denominado como um Smartphone. Ele tinha funções como calendário e calculadora, mas era grande como um telefone antigo sem fio e por isso mesmo, talvez não tenha feito sucesso. Em 1996 a Nokia lançou o Nokia 9000, o primeiro celular inteligente que começou a ter destaque no mercado. O modelo recebeu muitas evoluções até o ano de 2000.

O termo “smartphone” foi utilizado pela primeira vez em 1997 com o GS88 da Ericsson. A primeira tela sensível ao toque surgiu em 2000 com o celular da Symbian, o R380. A partir deste fato, telas sensíveis ao toque tornaram-se quase obrigatórias nos smartphones. No ano de 2002 surge o Blackberry, primeiro smartphone especialmente criado para o uso da internet sem fio. Ele foi sem dúvida um grande marco na linha destes celulares e o grande responsável pelas futuras evoluções na área móbile.

O iPhone da Apple foi criado no ano de 2007 e se tornou muito popular, conquistando grande influência na criação dos aparelhos lançados posteriormente. Seu sistema operacional iOS obrigou os concorrentes a criar outro sistema a altura e em consequência disso, chegou ao mercado o sistema operacional Android da Google, lançado em 2008 e que faz o maior sucesso até hoje. O iPhone inspirou até mesmo o design dos smartphones posteriores a ele, onde a tela grande sensível ao toque e a falta de botões fez a maior diferença em termos de qualidade dos aparelhos.

Este tipo de aparelhos revolucionou de tal forma o mercado e a forma de fazer marketing por parte das empresas que se desenvolveu com uma rapidez alucinante. Isto porque tudo comecou com jogos que antes só se podiam jogar num computador e assim passaram a poder ser jogados em qualquer lado. É o caso de jogos de casino em sites como www.casinoonline.pt/slots que permitem jogar ou praticar em torneios “em directo” jogos como póker ou blackjack, por exemplo.

A partir daqui, com este sucesso a grande maioria das marcas percebeu que uma app desenvolvida para estes aparelhos chegava com bastante facilidade a todas as pessoas e de forma individual e personalizada o que é perfeito para a forma de comunicacao das empresas que conseguem ser muito mais objectivas.

Ainda assim, apesar da enorme variedade de app úteis ou nao existem ainda vários segmentos que podem ser explorados e inovados como moda, tv e até de negócio criando plataformas acessíveis o que poderia revolucionar o pequeno e médio comércio e a médio prazo também as grandes cadeias.

Pushforpizza – O app mais simples do mundo para pedir pizza

Pushforpizza – O app mais simples do mundo para pedir pizza

Simplesmente a maneira mais fácil do mundo para pedir pizza. E o vídeo mais incrível para explicar como tudo funciona:

Se você está no Estados Unidos e tem iOS, faça o download do Push For Pizza aqui.

Para saber mais acesse: http://welcome.pushforpizza.com/
Facebook: http://facebook.com/pushforpizza
Instagram: http://instagram.com/pushforpizza
Twitter: http://twitter.com/pushforpizza

[nome]
[nome]
[email]
[email]
[submit]
[submit]
[submit]
[submit]
[formId]
[formId]
[return]
[return]
[formName]
[formName]